quinta-feira, março 01, 2007

Água morna


Existem momentos emblemáticos na vida de um homem, que definem a sua masculinidade. O problema é que nem sempre esses momentos são claros, algumas vezes se apresentam sutilmente, de maneira subliminar até. Não reconhecê-los é um risco.


Homem que é homem corta o cabelo com barbeiro, diriam pessoas mais antigas e retrógradas. Esse tipo de preconceito contra homens em cabeleireiros é coisa do passado. Mas se for o seu caso, cuidado! Aí está um desses momentos que definem sua masculinidade. Muita atenção, mesmo. Onde você menos espera, estará sendo testado. Por quem? Se você não sabe, bom, é um mau começo...


Pode conversar com quem está cortando o seu cabelo, pode aceitar café ou chá (menos de camomila, claro), ler revistas (Playboy, VIP, Veja, nunca Cláudia, Elle, Noiva ou G Magazine). Isso tudo é tranqüilo. Tente evitar afetações, apenas. Gritinhos de excitação ao ver algo interessante na revista também é preocupante, ainda mais se você estiver lendo a G Magazine com fotos de algum jogador de futebol...


O momento emblemático é no momento de lavar a cabeça. Sim, porque você terá a sua cabeça lavada durante o corte, e isso não tem nada demais. Mas vai acontecer, e você deve estar atento: vão perguntar a temperatura da água para lavar a cabeça. Neste momento, o silêncio sobre a Terra será absoluto, pessoas vão prender a respiração enquanto aguardam a resposta. Será uma fração de segundo, mas toda a sua vida estará em jogo, as brincadeiras de carrinho, as namoradas, as revistas de sacanagem, tudo estará parado, como se abrisse uma janela no tempo e no espaço, até que se dê a resposta. Fria, claro, ou quente. Nunca morna, por favor. Pedir água morna é assumir-se, é uma declaração atrás de um namorado, que pode até ser o rapaz que está lavando sua cabeça delicadamente. Pedir água morna requer uma trilha sonora, Village People, definitivamente.

Pedir água morna é o fim.


Até.

Um comentário:

Monique disse...

Macho que e macho tem que pedir gelada , tche !!!