terça-feira, julho 04, 2006

A Semana

A primeira semana, conforme planejado, seria apenas para nadar no mar de burocracias que envolvem voltar ao país e, mais especificamente, voltar a trabalhar. Assim tem sido, o ritmo mais lento de quem recomeça, porque em breve a vida vai ser bem mais agitada, ou corrida.

Por isso tenho procurado não atropelar as coisas, deixando tudo acontecer no seu tempo. Como pedestre, ainda não perdi o hábito de esperar o sinal de pedestres estar verde, mesmo que todos a minha volta atravessem assim que possível, e não duvido que um e outro me olhem e se perguntem, por um breve instante, claro, quem é o estranho que espera para atravessar a rua? Não me importo, afinal sou meio estranho mesmo, estou reaprendendo a viver por aqui.

Como no domingo, quando fomos a um café da moda, inaugurado há pouco tempo. Estávamos tomando o chope festivo comemorando a minha volta, quando notei que pessoas próximas à nossa mesa fumavam. Chamei o garçom e perguntei se era permitido fumar ali. Ele disse que havia uma área para fumantes, ali no fundo do café. Insisti, querendo saber onde estava a separação física das duas áreas. Não tinha. Chamou a gerente e conversei com ela, que explicou que a lei que proíbe o fumo em bares a restaurantes está para ser aprovada, mas ainda não foi. Mesmo assim, disse que a área permitida para fumo era longe de onde estávamos. Tudo bem, então, até que na mesa atrás de nós começaram a fumar também. Chamei o garçom novamente e perguntei novamente sobre a área em que eles permitiam fumar, e ele disse que realmente ali não poderiam estar fumando e perguntou se eu queria que ele pedisse que parassem. Claro que eu queria, e lá foi ele pedir.

O comentário na mesa foi de que eu estava mais chato do que antes. Fiquei pensando nisso. Na manhã seguinte, enquanto caminhava de casa até o hospital onde tinha uma reunião, desenvolvi uma teoria sobre o que aconteceu comigo nesses dois anos morando no Canadá: as minhas qualidades, assim como os meus defeitos, foram acentuados, reforçados.

Só espero que a parte das qualidades seja verdadeira...

Até.

3 comentários:

Allan Robert P. J. disse...

Defeitos ou virtudes: o importante é aprimorar.

lu disse...

você voltou pra porto alegre?
pois. depois de 2 anos fora voltei a porto alegre de férias e foi muito esquisito.
a verdade é q você mudou. vivenciou muitas outras coisas, numa sociedade muito diferente. não tem como estar igual porque sempre se acaba incorporando novos hábitos típicos da sociedade onde se vive. é normal.
foi isso q se passou comigo. eu já tava diferente, mas o resto das pessoas tava igual.

mas realmente, a experiencia de morar fora não tem preço. ;) abraço.

Monique disse...

é verdade Marcelo, quem mudou foi vc , pois os bares sempre foram assim...Vc não está ficando chato, apenas se habitou com a vida aqui. bjs,