domingo, julho 09, 2006

A Sopa 05/51

O último dia da Copa do Mundo.

Domingo, e escrevo a Sopa nossa de toda semana ainda antes da final da Copa do Mundo, que, por sinal, não sei se vou assisitir. Não sei porque talvez eu esteja em trânsito entre Gramado e Porto Alegre, voltando desses últimos dias de descanso, lautas refeições e algum esporte. Para mim, ao menos, já que a Jacque trabalhou muito durante o congresso, do qual foi uma das organizadoras, e tudo o que ela queria (e merecia) agora era uns dias de folga para se recuperar.

Mas eu falava que talvez não assista à final da Copa do Mundo. Se o Brasil estivesse lá, é claro que daríamos um jeito de assistir. Não está, por obra do oba-oba que se transformou a seleção brasileira e seu técnico equivocado, para dizer o mínimo. Poderia estar lá? Claro que sim. Não está? Não é o fim do mundo. Era disso que queria falar: é só um esporte, ponto.

Durante a semana que passou, fomos obrigados a ler quinhentos mil comentários (mais ou menos) sobre as causas da derrota, revistas de fofocas estamparam fotos de celebridades chorando com a derrota, abraçadas à bandeira do Brasil, teorias da conspiração já surgiram para explicar o óbvio: perdemos porque a França jogou melhor. De novo, ponto. E o mais evidente, não souberam perder. Os jogadores, a comissão técnica e nem os torcedores. É um jogo, e como diz um velho e óbvio adágio do meio, “em futebol se ganha, se empata e se perde”. Mais, se não sabe porque perdeu, vai perder de novo.

O que mais me impressiona, contudo, é o drama que fazem pela derrota. Parece que é muito mais que uma competição esportiva: é uma guerra, e o que está em jogo é o orgulho nacional, a nossa auto-estima. Só isso mesmo para explicar o choro com a derrota da seleção. Ficar decepcionado, chateado, até frustrado, tudo bem. Mas chorar, ter raiva a ponto de ir ao aeroporto para vaiar, é além do limite. Claro, que se o efeito da derrota nos atinge em nossa auto-estima, até é possível entender essa reação, de choro e raiva.

Mas pobre de um povo que precisa do futebol para sentir-se bem.

Até.

2 comentários:

Ana disse...

Eu falei isso pra uma pessoa no meu trabalho: Tenho pena e dos Brasileiros que nao tem nada e so conseguem se sentir bem com a vitoria na Copa do Mundo, isso e muito triste.

E eu nao perderia meu tempo indo vaiar ninguem em aeroporto nao, mas confesso que fiquei chateada, mas mais por causa da ma atuacao do time - que tinha tudo pra jogar pra caramba.

E hoje estava torcendo contra a Italia, pena que nao funcionou ;)

Monique disse...

Assistimos o jogo ontem comendo feijoada, só faltou vc. Fiquei feliz com a Itália ! bjs,