quinta-feira, maio 04, 2006

Dúvida Existencial

Há algumas semanas, enquanto comemorávamos meu aniversário regados à Fischer, cerveja da Alsácia, em meio à conversa me perguntaram qual era o meu maior defeito. Não soube o que responder, fiquei em silêncio.

Passa-se uma semana, a Jacque chega para visitar-me e, reunidos novamente no almoço de Páscoa, contam para ela o ocorrido. Ela não vacila: “Não sabe qual é o maior defeito? Esse é o maior defeito, megalomania!”. Todos riram, eu acho. Depois, fiquei pensando com os meus botões. Será que sou mesmo megalomaníaco? E, pior, será que isso faz mal às pessoas? Será que eu faço mal às pessoas?

Pausa. Admito que vai ser virtualmente impossível desenvolver esse texto sem parecer que estou defendendo o meu jeito de ser. Vou tentar não fazê-lo, até porque o meu jeito de ser é meu e não recomendo para ninguém. Cada um na sua. Fim da pausa.

Fiquei, então, me perguntando qual era o meu maior defeito, se é que eu achava que tinha algum. Espera aí, eu nunca disse que não tinha defeitos! Eu apenas não soube dizer qual era o maior deles. Sim, eu tenho defeitos, e muitos. Sou humano, afinal de contas. Qual, de todos eles, é o maior? Ainda não sei.

Além disso, será que as pessoas me vêem como um megalomaníaco, um chato? Egocêntrico? Pedante? Será, será?

Não tenho essa resposta também.

Sempre acreditei e – mais – gostei de mim mesmo, e nunca tive vergonha de dizer que eu gostava de mim, que me achava capaz. De certo modo, era para vencer o maior crítico que eu tinha: eu. É o que diz a música: “Quantas chances desperdicei quando o que eu mais queria era provar para todo mundo que eu não precisava provar nada pra ninguém”…

Confesso, por outro lado, que durante um tempo quando eu dizia que as pessoas podiam ter opiniões, mas eu tinha compromisso com a verdade, era mais para slogan de jornal do que qualquer outra coisa. E brincadeira, óbvio, para alimentar o folclore. Mas todo folclore surge de algum lugar…

Pensamentos grandiosos, idéias mirabolantes, sim, esse sou eu.

Mas me pergunto se sou egocêntrico e egoísta, o que não seria nem um pouco legal.

Você, que me conhece, sinceramente, o que pensa?

Até.

2 comentários:

Kaka, Beta, Bibi e Xu disse...

Teu maior defeito cunhadinho...é ser tão chato que faz uma grande falta quando não esta por perto. É deixar saudades na familia Partichelli, saudades de ouvir aquela famosa expressão:
..........PALHAÇO........
Nosso dindo, tem o defeito de fazer muita falta pra gente, e cá para nós: "ele é bem megalomaníaco".
Bjs
Beta, Bíbi, Kaka e Xú

Allan Robert P. J. disse...

Marcelo,
Não te conheço mas não acho que pensar grande seja megalomania. Melhor ter planos, projetos e sonhos grandes que acontentar-se da pequenez da vida e tornar-se um humilde medíocre. Seja Grande!
:)