sexta-feira, junho 09, 2006

Três

Diz o ditado: um é pouco, dois é bom, e três é demais.

É como me sinto por esses dias, que estranhamente passam rápido mas ao mesmo tempo se arrastam. É o paradoxo do tempo: quando visto em retrospectiva, passa muito rápido. Olhado para frente, uma eternidade; para trás, voa.

Pronto. Num mesmo parágrafo, consegui utilizar um ponto-e-vírgula e dois pontos. Não é sempre que consigo. Por isso, estou satisfeito. Não tão satisfeito quanto no dia da defesa da minha tese de doutorado, em que pude utilizar numa frase, sem parecer estar forçando, a palavra ‘peremptoriamente’.

Porque eu sou assim, pequenos prazeres me deixam feliz.

É o que eu pretendo fazer nas próximas semanas. Não muito, confesso. Encontrar pessoas, rever amigos antes de um até logo um pouco mais prolongado que o meu usual. Relembrar histórias, fazer planos. Minha relação com Toronto não termina no final do mês, evidentemente.

Ninguém que mora por algum tempo numa cidade como Toronto consegue ficar imune a essa experiência. Não tem como não nutrir por essa cidade uma admiração e respeito elevados. Qualidade de vida, civilização, adjetivos que descrevem a cidade mas não captam seu espírito. Ou espirítos. Sim, porque Toronto não é uma cidade única: é – no mínimo – duas. Uma no inverno; outra no verão. Ponto-e-vírgula, de novo… Como dizia, quero viver Toronto nas próximas semana antes de embarcar de volta ao sul do mundo.

Tinha pensado em sair em silêncio, sem muito alarde, para que as pessoas só se dessem conta que eu já havia partido quando fosse tarde, e eu já estivesse trabalhando em Porto Alegre de novo. Mas não seria eu. Eu não sou assim.

Vou celebrar os amigos que fiz aqui. Com eles, claro.

Até.

6 comentários:

Jacque Rizzolli disse...

O que posso eu dizer...nas minhas curtas estadas em Toronto, tb me encantei com o lugar, as pessoas, as cores, ou a falta delas (nos dias de muita neve...)
Mas agora,neste momento, ao retornar do "primoroso" show do Nei Lisboa, acompanahdo pela Orquestra de Câmara da ULBRA e de uma cantora carioca chamada Simone Capeto, com uma voz inigualável e que acabou de lançar um CD somente com músicas do Nei (que eu, obviamente comprei na saída do Theatro São Pedro)...só posso te dizer uma coisa: ÉÉÉÉ bom morar em Porto Alegre!!!!!
Saudades, faltam apenas míseras, e intermináveis, três semanas...

Mauricio V. Almeida disse...

Deve ser a mesma sensação de quando vc saiu do BR. Tentar matar as saudades antes da partida (tudo de novo).

Claudio e Catia disse...

Oi Marcelo...nem acredito que voce ja vai embora...parece tao pouco tempo atras que voce esteve la na loja,que chegamos aqui,que nem me dei conta de como o tempo passa rapido...compartiho com o seu respeito por Toronto,e com o encanto que a Jaque falou de Porto Alegre...ninguem fica imune de sentir saudades depois de ter a experiencia de ter vivido em ambas,mas se for para desempate,Toronto nao tem o Internacional...

marcelo disse...

Cláudio,

Colocar o Inter no meio é covardia com Toronto...

:-)

Allan Robert P. J. disse...

Quando se parte, um pedaço da gente fica, mas um pedaço do lugar vai com a gente.
Vou ficar esperando a Sopa Em Casa.
:)

Monique disse...

Ai de vc que volte pro Sul sem falar conosco !!!!!