sexta-feira, janeiro 21, 2005

Cento e um

Ontem foi o centésimo post neste blog desde que vim para o Canadá.

O blog foi criado em junho, mas já escrevo A Sopa há três anos e sete meses, e ainda é enviada aos assinantes semanalmente em um arquivo Word. Mas escrevo desde bem antes disso.

Mudando de enfoque, mas mantendo assunto.

Pela minha ligação com barcos e vela desde os meus dez anos de idade (e isso inclui projetos de futuro), sempre denominei os meus escritos como "Diários de Bordo". Isso bem antes de surgir 'A Sopa de Ervilhas Anual do Marcelo'. Há mais de dez anos escrevo, não só textos de ficção mas também impressões sobre a minha vida e o mundo. Antes de ter computador, escrevia em cadernos - diários, se quiserem. Quando estive em Porto Alegre, em dezembro, reuni-os e trouxe comigo na volta.

Pois então, por estes dias, além de estudar medicina, tenho mergulhado no passado. Estou relendo os meus escritos e transformando-os em arquivos digitais, para ter guardados. De certa forma, é preservar a minha memória. E uma fase de reflexão, reavaliação. Como sempre, entender quem fui para saber quem sou.

É possível que eu desencave algumas coisas do fundo do baú e compartilhe com vocês.

Será que seria legal?

7 comentários:

Luly :) disse...

Oi, Marcelo!

Acho um barato essa coisa de ter "diários"... é muito legal relê-los depois de muito tempo...
Eu tenho 10 agendas, que funcionavam como diários, de 1989 a 1999... Não tem nada muito filosófico, mas dá pra perceber o clima e o pensamento da época...
Mas não teria graça passá-las para o computador, a não ser que fossem scaneadas... Por enquanto vão ficar dentro da minha caixinha mesmo!;o)

Bjo

Luly :)

Patricia disse...

Eu tinha centenas de cartas!
Sempre adorei conversar com gente que nunca vi pessoalmente e na adolescência participava desses programas de intercâmbio que a gente escolhe uns quantos países e depois recebe papeizinhos com endereços ou então recebe cartas surpresas em casa.
Eu me correspondia com gente de tudo quanto é lugar do mundo, além de primos e amigos que moravam em outras cidades.

Vira e mexe achava engraçado reler as cartas enviadas para mim e lembrar dos acontecimentos da época, lembrar o que eu tinha escrito em resposta ou na carta anterior e por aí vai... mas aí a minha mãe ou a minha sogra se deparou com aquilo e queimou tudo quando percebeu que não voltavámos mais ao Brasil com a velha desculpa da falta de espaço. (já não tenho a certeza de quem foi, mas isso parece ser coisa de sogra!)

E lá se foi parte do meu passado!

Gean Oliveira disse...

Oi Marcelo, parabens pelos 100 posts. Realmente é uma data para ser lembrada. Tô feliz por voce.

Quanto as lembrancas do passado, sim, traz ai e compartilha com a gente.

Abracao

Allan Robert P. J. disse...

Cem posts?
Isso é muito ou pouco? Não tenho o hábito de contar os posts editados e escrevo pouco, portanto, para mim parece muito. Quanto a desencavar coisa velha, tudo bem, manda bala. Sorte minha não nos conhecermos, ou teria que aturar um monte de reminiscências.
Ciao.

Monique disse...

Oi MArcelo,
Parabéns pelos seus 100 posts ! Quanto a postar seu mergulho ao passado, eu acho que seria bem interessante. Eu topo ! abração,

Mauricio V. Almeida disse...

Olá Marcelo. Que venham + 100 posts. Parabéns.
Assim que eu botar minha vida nos eixos gelados vou fazer um curso de vela. O objetivo é velejar no lago Ontário no verão (é claro). No Brasil eu tenho o "Arrais". Abraço.

Laila disse...

Parabéns pelos 100 posts!!! Taí, vou começar a contar os meus, não tenho a menor idéia de quantos já coloquei no ar.
Abçs, Laila.