quinta-feira, outubro 21, 2004

Dormir

Dizem que foi Benjamin Franklin quem disse que "Early to bed and early to rise, makes a man healthy and wise" (dormir e acordar cedo faz o homem saudável e sábio), que é mais ou menos semelhante ao "Deus ajuda a quem cedo madruga". A mensagem sempre foi essa: acordar cedo é melhor. Bom, parece que não tem nada a ver.

Hoje de manhã, como não teria atendimento no Centro de Asma - meu supervisor está viajando para dar uma aula -, pude assistir ao Grand Round da medicina interna no Toronto General Hospital. O assunto, novas perspectivas em pesquisa em cardiologia. Mas o que "acordar cedo" tem a ver com isso?

Não, não foi porque pude dormir mais, até porque não pude.

As novas perspectivas de pesquisa a que a palestra se referia tinha relação também com sono. E foi muito interessante. Falou-se sobre um conceito que é velho conhecido dos médicos, o ritmo circadiano. O que quer dizer isso?

Existem funções no nosso organismo que funcionam como se fossem reguladas por um relógio. Determinados hormônios são liberados mais pela manhã, nossa pressão arterial é maior logo cedo, etc. Mesmo a função pulmonar é menor no final da noite e começo da manhã, por isso as crises são mais freqüentes nestes horários. Assim como acontecem mais infartos de manhã. Mesmo o sono respeita um ciclo assim: tem um pico por volta das duas da manhã e outro, não tão intenso, mais ou menos às duas da tarde, o que é uma justificativa mais do que razoável para as "sestas" e para todas as vezes que eu peguei no sono nas aulas de patologia às 13h30...

Bom, as pesquisas mostram que o coração é um órgão geneticamente diferente durante o dia comparado com a noite. Responde a medicações de forma diferente, tudo. Isso tem muitas implicações da prática médica, mas não vou me extender na parte técnica, afinal este é um blog leigo... (mas quem quiser saber mais detalhes,só me escrever.,,).

Que coisa.

Fiquei pensando nas possibilidades literárias de termos um coração de dia diferente do da noite. Se é assim, o problema não seria de dupla personalidade, mas de corações diferentes. Amaríamos duas pessoas, uma de dia e outra de noite? Seria então, uma questão de genética, e não de - sei lá - caráter, ou cultural, ter duas famílias? Será que alguns planos que fazemos à noite e que pela manhã parecem ruins, só o são porque quem está avaliando é outro coração, outra pessoa?

Que coisa.

E o Benjamin Franklin? Bom, fizeram um estudo para testar se a teoria dele sobre dormir e acordar cedo estava certa. Não está, foi provado. O importante é dormir mesmo.

Mas não pode ser pouco nem muito. Estudos mostraram que quem dorme menos de seis horas ou mais de nove horas por noite tem mais doenças e vive menos do que quem dorme entre sete e oito horas.

Boa noite.

4 comentários:

Lucix disse...

Ufa! Eu simplesmente odeio acordar cedo, hehehe. Às vezes até troco a noite pelo dia. Quanto a dormir, de vez em quando eu preciso de um remedinho para dar jeito nisso.

Laila disse...

Putz! Eu praticamente hiberno nos finais de semana e nas férias, quando tenho tempo para dormir. Durmo umas 11, 12 horas. Será que vou ter muitas doenças?
Hummmmmmm...
Abçs, Laila.

Mauricio V. Almeida disse...

Oi Marcelo. Eu sempre dormi entre 6 e 7 horas no máximo e acordava legal mas não sei o que está acontecendo comigo ultimamente... Segunda passada eu quis ficar mais 5 minutos na cama de manhã e ao invés de acordar 07:30 eu só acordei 13:40!!! Isso nunca aconteceu comigo antes. Nunca fui de dormir mais de 10 horas. Você poderia escrever no seu Blog se tem alguma relação entre o inverno (frio) e o sono pois acho que vou hibernar esse ano. Abraço.

Anônimo disse...

Bahh! Eu consigo dormir no máximo 5hs por dia, quando dá.
Eu adoraria dormir umas 12hs por dia...mas acho que não conseguiria.
Bom , acho que vou dormir.
Um abraço do Jéferson