sábado, fevereiro 19, 2005

Mais um sábado

Há seis meses, saí de Porto Alegre para vir morar por um tempo aqui em Toronto. Seis meses! Quase nada, um “tempão”. Já tinha me dado conta disso, e até escrito, acho, mas é impressionante como o tempo passa rápido quando visto retrospectivamente.

Acho que vou ser sempre assim: o tempo, presente, passado e futuro, vão sempre me surpreender. A impressão é de que passa muito rápido para podermos “digerir” tudo o que acontece à nossa volta. Eu, pelo menos, estou sempre correndo atrás. Quero aprender o máximo possível sobre tudo (mesmo sabendo que vai ser suficiente saber um pouco sobre algumas coisas) ao mesmo tempo que não posso perder o foco das coisas que acontecem e vão continuar acontecendo.

Mudando de assunto, mas nem tanto assim, hoje assisti ‘Finding Neverland’ (“Em Busca da Terra do Nunca’). Gostei muito. É um filme daqueles que emociona, e saímos do cinema felizes. Além disso, a história de Peter Pan e o conflito entre crescer ou não, deixar de ser criança, “ser sério” versus “ser criança”, sempre me interessou e me fez pensar.

Encerrando a semana Beatles, neste A Sopa no Exílio, e mesmo sabendo que uma semana foi muito pouco para mostrar algo dos Beatles, Strawberry Fields Forever.


Let me take you down, ’cause I’m going to strawberry fields.
Nothing is real and nothing to get hungabout.
Strawberry fields forever.

Living is easy with eyes closed, misunderstanding all you see.
It’s getting hard to be someone but it all works out, it doesn’t matter much to me.
Let me take you down, ’cause I’m going to strawberry fields.
Nothing is real and nothing to get hungabout.
Strawberry fields forever.

No one I think is in my tree, I mean it must be high or low.
That is you can’t you know tune in but it’s all right, that is I think it’s not too bad.
Let me take you down, ’cause I’m going to strawberry fields.
Nothing is real and nothing to get hungabout.
Strawberry fields forever.

Always, no sometimes, think it’s me, but you know I know when it’s a dream.
I think I know I mean a ’yes’ but it’s all wrong, that is I think I disagree.
Let me take you down, ’cause I’m going to strawberry fields.
Nothing is real and nothing to get hungabout.
Strawberry fields forever.
Strawberry fields forever.

3 comentários:

Ana Celia disse...

Oi Marcelo, que legal que vc gostou do "Finding Neverland", mas conta, vc chorou ou nao????

Bjs,
Ana

Parabens pelos 6 meses!

Lucix disse...

É, depois que já passou, dá a impressao de que o tempo passou rápido... Mas nao sei nao...

Eu preciso muito ver esse filme! varios outros tb, mas esse é o primeiro da lista. Esse assunto muito me interessa tb, heheh!

Diego disse...

Esse filme é muito bom. E o tempo, retrospectivamente passa voando. Quando vi ja estava aqui ha mais de dois anos.

Outra: quando a gente volta, ou encontra que a gente ama, depois de uns segundos de ligeira estranheza, parece que nao se passou nem um minuto longe.

To numa correria de doido, acho que nem vou poder te dar um tchau ao vivo. Mas boa sorte nas tuas coisas por aqui. E nos vemos em Porto Alegre.