quinta-feira, fevereiro 10, 2005

Quarta-feira

Depois de uns dias de temperatura mais amena e claros, hoje voltou a nevar.

Sentado em minha poltrona de trabalho, olho pela janela. A noite é clara pelas luzes da rua, milhares delas. A visão da neve, que cobre telhados e ruas, ainda me dá uma sensação de paz, de tranquilidade. O silêncio voltou a ser confortável.

Quando cheguei aqui, o silêncio foi meu companheiro por muitos dias. Foram também dias de reflexão e circunspecção e trabalho. Esse tempo ficou para trás.

Na volta dos feriados de Natal e Ano Novo, com a Jacque me visitando aqui em Toronto, decidi que era hora de comprar uma televisão. Não tinha comprado antes para não me desviar de meu objetivo inicial: terminar minha tese. Pois então, comprei a TV, assinei uma companhia de TV a cabo, e a vida mudou. Tenho compainha o tempo todo em casa, há quase sempre alguém falando…

Hoje, mudei o rotina.

Cheguei em casa quando a noite já começava a cair. Não acendi a luz nem liguei nada que fizesse som. Fiquei sentado, no escuro, sozinho, em silêncio. Como foi bom… Quando toleramos bem o silêncio e o ficar sozinho, é porque estamos em paz com o mundo.

Eu estou.

#

Só para marcar a quarta-feira de cinzas, Vinícius de Moraes.


Soneto de quarta-feira de cinzas

Por seres quem me foste, grave e pura
Em tão doce surpresa conquistada
Por seres uma branca criatura
De uma brancura de manhã raiada

Por seres de uma rara formosura
Malgrado a vida dura e atormentada
Por seres mais que a simples aventura
E menos que a constante namorada

Porque te vi nascer de mim sozinha
Como a noturna flor desabrochada
A uma fala de amor, talvez perjura

Por não te possuir, tendo-te minha
Por só quereres tudo, e eu dar-te nada
Hei de lembrar-te sempre com ternura.

3 comentários:

Luly :) disse...

Oi, Marcelo!!

Acabei de colocar os seus posts em dia! Desde de sexta passada que eu não acompanhava!!;o)
Adorei todos os de Carnaval, as músicas foram muito bem escolhidas!! Também gosto de carnaval com marchinha e samba-enredo, mas infelizmente é o que é mais difícil de se encontrar ultimamente...

Bom finzinho de semana pro cê!!

Bjo

Luly :)

Monique disse...

Oi Marcelo; Minha companheira aqui em casa também é a TV, tem sempre alguem flando no meu ouvido. bjs,

Anônimo disse...

Marcelo perdi teu email e te achei aqui por acaso. me manda um email, vamos combinar um cafe:

bassanidr@hotmail.com

btw, é o Diego, cunhado do Padoin.
abraco
D