sábado, fevereiro 18, 2006

Atualidades Absurdas

Deixo, na maior parte das vezes, de tecer comentários sob certos assuntos.

Pelas mais variadas razões, que não vêm ao caso. Mas, algumas vezes, não dá para evitar, o assunto se impõe.

Exemplos.

O ministro italiano que apareceu na tevê usando uma camiseta com as charges sobre Maomé. Isso, as mesmas que provocaram reações violentas após serem publicadas em jornais dinamarqueses. Após a aparição, a embaixada italiana na Líbia foi atacada e carros incendiados por muçulmanos furiosos. Nem é questão de liberdade de expressão ou não. É estupidez mesmo. Ou provocação – com o perdão da redundância – indendiária.

Foi obrigado a demitir-se, evidentemente.

Outra: passei a semana toda sem comentar o episódio envolvendo o vice-presidente dos Estados Unidos, que atirou na cara de um amigo numa caçada. Como disseram alguns apresentadores de talk show daqui: fazer piada disso era como bater em bêbado: sem mérito nenhum…

Pois é, e ontem o advogado de 78 anos, amigo de Dick Cheney, vítima dos tiros no tórax e rosto, e que sofreu um infarto nos dias seguintes, saiu do hospital. E, em entrevista, pediu desculpas! Por ter levado um tiro do vice-presidente e causado “incomodação” a ele!

Morro e não vejo tudo…

Até.

2 comentários:

Allan Robert P. J. disse...

Faltou dizer que no episódio do ministro italiano morreram 11 pessoas. A polícia, para acalmar a manifestação, atirou para matar. E o imbecil do ministro - que só se demitiu após uma "solicitação" do primeiro-ministro - ainda teve a cara de pau de dizer que se demitia mas não se arrependia.
Cada país tem o Lula que merece...

Ana disse...

PQP, que eu nao vi essas coisas!!!

Mentira que o imbecil usou uma blusa com a charge! Que falta de bom senso, ele que devia levar um tiro no meio da testa, pra deixar de ser burro.

E eu ja tinha era processado a bicha do Cheney. Aquele cara tem serios problemas. Beijos