quinta-feira, fevereiro 23, 2006

Sob o sol que nos protege

San Diego – O primeiro grande choque que tive ao conhecer o inverno de Toronto foi, em um domingo de sol e céu azul, sair para a rua para passear, para, fechar os olhos e olhar em direção ao sol, esperar que me aquecesse o rosto, e nada. Decepção é a palavra que melhor explica, além de frio.

Ontem, final de tarde, mais de uma dezena de surfistas pegavam onda junto a um pier (plataforma, na verdade) que também é um hotel. Frio, sol. Hoje cedo, antes das oito da manhã, um grupo maior aproveitava o mar antes de ir para o trabalho. Frio, sol.

Num intervalo da reunião, no final da manhã, fui até a sacada que dava para o jardim atrás do hotel, junto à baía que dá nome à região, aguns catamarãs esperando por alguém para velejá-los pelas águas calmas de Mission Bay. Algumas pessoas passavam, correndo ou de bicicleta. Parei no sol, fechei os olhos, e me voltei em direção ao astro rei. Senti o seu calor a me aquecer.

Na Califórnia é diferente, irmão.

Até.

Um comentário:

Ana disse...

O que voce ta fazendo ai?