terça-feira, junho 07, 2005

Sobre atividade física e outros frufrus

Tem uma propaganda que eu vi estes dias – não sei num canal aqui do Canadá ou dos Estados Unidos – muito engraçada, mas que faz pensar. Começa com um gordo abrindo a porta da garage com o controle remoto e indo até a frente da casa numa daqueles carrinhos motorizados, para pegar o jornal. A partir daí, mostra toda a família obesa fazendo atividades com o mínimo possível de esforço, até acabar com o filho gordinho brincando com o cachorro: sentado numa cadeira, tomando um milk-shake, a arremessando bolas de tênis com aquelas máquinas para treinar tênis, que fazem isso. O aviso final, acho que do Colégio Americano de Cardiologia: cuidado com o sedentarismo.

Eu era sendentário. Não sou mais.

Nada a ver com a propaganda, mas resolvi que tinha que deixar de ser sedentário. Certo, talvez tenha a ver com o fato de eu ver minha barriga crescer a olhos vistos apesar de (1) não estar grávido por óbvias razões e (2) não estar tomando cerveja. Mas isso não vem ao caso.

Ontem ia começar na academia que tem aqui no condomínio onde moro, mas logo depois do almoço comecei com um dor de cabeça quase insuportável. Tomei dois Tylenol e vim para casa. Chegando, deitei e dormi umas duas horas. Acordei ainda meio enjoado mas sem dor. Definitivamente, não era dia de começar atividade física.

Pensando no por quê de ter tido a dor de cabeça justamente no dia em que ia começar na academia, duas teorias surgiram: (1) um tumor no cérebro que vinha crescendo e agora tinha começado a doer, o que explicaria muita coisa; ou (2) o meu corpo estava se rebelando contra mim, queria continuar sedentário e, para isso, faria qualquer coisa, até simular um tumor cerebral. Gostei mais da segunda hipótese.

Hoje, segundo round.

Acordei bem, apesar de atrasado. Após o almoço, tudo bem.

O plano, sair do hospital e ir direto me inscrever na academia. No metrô, começaram as vozes “vai pra casa, vai pra casa”. Não me deixei abater e fui até a academia. Chegando lá, a menina da recepção estava tão de má vontade (coisa rara de se ver aqui, na minha experiência) que decidi que eles não me mereciam como cliente. Fui pra casa. O meu corpo ia ganhar de novo.

Mas numa reviravolta das expectativas, troquei de roupa e fui para uma academia aqui perto de casa, me inscrevi e já comecei. Não sou mais sedentário.

Vamos ver até quando…

5 comentários:

Queila disse...

Parabéns Marcelo! Eu também estou LUTANDO para conseguir perder os quilos adquiridos durante o inverno. Como é dificil...

Mas eu não estou indo à academia não...Estou tentando alternar caminhadas com passeios de bicicleta para aproveitar os dias de sol.

Sendentarismo, nunca mais! (I hope!)

Q

Carlos disse...

Começar uma atividade física é sempre difícil, mas não pode desistir. Depois de umas duas semanas seu corpo já não vai estar reclamando tanto.

Luly :) disse...

Oi, Marcelo!

Antes de mais nada: Parabéns! Realmente vencer o "diabinho" que te manda ficar em casa é muito difícil! Eu às vezes ouço brigas homéricas dele com o "anjinho" que quer que eu seja saudável!! hahahaha... Ontem foi um desses dias... mas o anjinho venceu!!;o)
Agora, se vc vencer esse comecinho que é difícil, vc vai ver como vc vai sentir falta de se exercitar se ficar parado (é, porque o diabinho nunca vai desaparecer, mas vai perder a força!). A gente começa a se sentir muito melhor e sente falta dessa sensação.
Boa sorte pra vc, e não desista!!
;o)

Bjoca

Luly :)

Camilla disse...

Oi Marcelo,

E a bike? Desistiu de fazer exercicios com ela?

Beijos!!

ana disse...

ahahhahahahahahahahha
eu sou sedentaria e pelo visto vou continuar. me mudei e pensei "ops, vou na academia do condo". to indo?! ahahha loooooooogico...q nao ;)
meu corpo luta bravamente contra o suor e a queima de gordura!
beijos