sexta-feira, março 03, 2006

Fundamental é mesmo o amor

Hoje cedo, céu azul e temperatura de –11ºC.

Saí um pouco mais cedo que o habitual porque tinha que ir para um outro laboratório, onde ficaria até o final da manhã. O trajeto diferente, foi feito de metrô até a estação Spadina e aí de bonde até a College St, de onde tinha que caminhar duas quadras até o laboratório.

A sensação térmica de –15ºC foi a responsável pela sensação de ter minha orelhas congeladas. É uma dor fina, constante. Por isso, resolvi desviar um pouquinho o meu caminho (seguir um pouco adiante para depois voltar) e dar uma parada num Starbucks. Lá, já sem luvas, pedi um caffè latte. Enquanto estava no caixa esperando para pagar, comecei a prestar na música que tocava.

Não demorou muito para identificar que era uma versão em inglês de Aquerela do Brasil. Interessei-me. Vi que, entre os produtos à venda ali, estava um CD do Sérgio Mendes, uma coletânea. A música seguinte, Desafinado, com João Gilberto. Perguntei se essas músicas estavam no CD, e a funcionária foi ver que música era. Disse que música era e quem tocava, e que não constava na músicas descritas no CD.

Ela procurou e disse que era o mesmo CD. Perguntei-lhe como, e ela esclareceu que algumas vezes eles recebiam um CD master com mais músicas que o que estava para venda. Perguntei se havia alguma chance de eu conseguir um CD master. Disse-me que não. Agradeci e me dirigi à saída. Casaco, luvas.

Quando saía da loja, começou a tocar Wave.

Vou te contar os olhos já não podem ver
Coisas que só o coração pode entender
Fundamental é mesmo o amor é impossível ser feliz sozinho

O resto é mar, é tudo que eu não sei contar
São coisas lindas que eu tenho pra te dar
Vem de mansinho à brisa e me diz que é impossível ser feliz sozinho

Da primeira vez era a cidade
Da segunda o cais a eternidade,
Agora eu já sei,
Da onda que se ergueu no mar
E das estrelas que esquecemos de contar
O amor se deixa surpreender
Enquanto a noite vem nos envolver


Respirei fundo e saí para o frio da rua.

Sexta-feira, sexta-feira.

Até.

Um comentário:

Monique disse...

Foi uma boa inspiração para voltar ao frio, ótima música !