segunda-feira, abril 18, 2005

De volta

Enquanto o táxi seguia lentamente em meio ao trânsito matinal da Lake Shore Boulevard lembrei de Heráclito de Éfeso: “Tu não podes descer duas vezes no mesmo rio, porque novas águas correm sempre sobre ti”, que é o mesmo que “nenhum homem duas vezes no mesmo rio, pois nem mais a pessoa nem o rio serão os mesmos”. E lembrei de quando cheguei aqui, há oito meses.

Ao contrário de hoje – dia claro, céu azul – a manhã de vinte de agosto era púmblea, com grossas nuvens deixando o céu mais baixo, mais pesado. Eu, sozinho, sem saber o que me esperava aqui e ainda culpado por ter deixado o meu mundo, a Jacque, em Porto Alegre. Foram difíceis, aqueles primeiros dias.

Voltei para Toronto.

Não posso dizer que estou me acostumando com despedidas porque estaria mentindo: não gosto e não vou me acostumar nunca. Mas, no momento, não tenho opção: tenho um projeto e objetivos a alcançar, e Toronto faz parte do caminho para chegar a eles. Então, paciência.

Não que eu não goste daqui, ao contrário. Toronto é uma ótima cidade para se morar. Segura, cheia de opções de todos os tipos, multicultura, a qualidade de vida é incomparável. O seu único defeito: não é Porto Alegre.

Ontem, na minha curta estada no aeroporto em Guarulhos, tive a chance de encontrar o Radica, meu amigo, uma amizade de vinte anos. A nossa conversa passou também por isso, a falta que sentimos (ou não) do sul, de Porto Alegre. Falei que não sei se quando me refiro à Porto Alegre não estou na verdade querendo me referir ao meu mundo, Jacque, meus pais, amigos, a vida que eu tinha lá e que vou ter quando voltar daqui a um tempo. Não sei mesmo.

Pensando bem, me refiro também a eles, ou principalmente a eles, mas gosto da cidade também, o astral, as ruas e avenidas, os bairros, até os shopping centers. Voltando para casa, de carro, na quinta-feira à noite, me vi feliz ao passar por um cruzamento. Um cruzamento de duas ruas! Loucura, não?

Bom, mas agora Toronto é minha casa de novo. E é impressionante a mudança anímica que ocorreu aqui desde a chegada da primavera. As pessoas parecem mais vivas, mais alegres. Hoje a temperatura prevista era de até 19ºC, e amanhã 26ºC! Claro que ainda vai esfriar, mas é outra cidade. A mudança das estações do ano, que são bem marcadas, inverno muito rigoroso, primavera clara, tudo isso reforça a sensação de impermanência, de que tudo passa, de que mudamos constantemente. Falo mais sobre isso um dia desses.

Até.

2 comentários:

Rafael Reinehr disse...

É TETRACAMPEÃÃÃÃÃÃOOOOOOOOOOOOOO!!!

Viva o Colorado dos Pampas!

Monique disse...

Oi Marcelo; Está de volta as terras não mais geladas, gostou da mudança de temperatura ? Toronto parece mesmo outra cidade, tudo muda, as pessoas saem mais às ruas e o verde voltando aos poucos.
Mas e quanto ao encontro da Sopa, tudo de pé ? Recebeu meu e-mail das sugestões ? bjs,