quinta-feira, abril 14, 2005

Teoria da Permanência do Peso Terrestre

Amenidades.

Existem muitas teorias para explicar tudo o que acontece no universo, e trago aqui mais uma: é a Teoria da Permanência do Peso Terrestre. Formulei esta teoria há alguns dias, e ela explica muita coisa, desde o aumento dos casos de obesidade nos Estados Unidos, a superpopulação no planeta e até a má distribuição de renda mundial, manifestada pela fome na África.

A teoria é bem simples. Diz que a Terra, o planeta, com tudo o que está nela (animal, vegetal e mineral) tem um peso constante, imutável. Qualquer alteração é compensada, de alguma maneira, de forma que o peso vai sempre se manter o mesmo. Se perde de um lado, ganha de outro.

É o exemplo de quem faz dietas. Para uma dieta funcionar, alguém tem que engordar. Se em Porto Alegre eu perco 5kg de peso, em algum lugar do mundo alguém vai ganhá-los. Ou cinco pessoas vão ganhar um quilo cada uma. Se nos Estados Unidos o índice de obesos é muito grande, a contrapartida é que na África ou em certas regiões da Ásia a fome aumenta e – conseqüência – o baixo peso e a desnutrição aumentam proporcionalmente. Da mesma forma, se a população aumenta e o peso deve se manter o mesmo, as pessoas irão tornar-se mais “magras”.

Faz sentido se pensarmos que temos que alimentar um número muito grande de pessoas e que a quantidade de comida produzida não aumenta na mesma proporção da população. Talvez faça mais sentido ainda se utilizarmos esta teoria para justificar que gordinhos façam dieta, tipo “se emagreceres, diminuis a fome no Afeganistão”. É uma teoria que aumenta a auto-estima de quem se vê obrigado a perder peso, pois emagrecer passa a ser uma questão de interesse da humanidade, e não apenas de saúde pessoal ou estética.

Sei lá, apenas idéias malucas de uma manhã sem inspiração.

(Texto pubhlicado n'A Sopa A.B - Antes do Blog)

Um comentário:

Ana disse...

Entao prepare-se pra ganhar 6kg, porque e isso que eu vou perder nos proximos 2 meses ;)

Beijao!