quarta-feira, março 02, 2005

Dedicatórias

Presentes são coisas difíceis de comprar. Para mim, ao menos, são.

Para a Jacque, por exemplo. Sempre me sinto pressionado com relação ao presente que vou dar, sabem como é, tem que ser perfeito. Então…

Mas não é só para ela. Acho complicado, sinceramente. Então uma vez resolvi que ia dar para as pessoas o que gostaria que me dessem. Suuuper-egoísta… Mas não é de todo mal. Livros, por exemplo. Gosto de ganhar e gosto muito de presentear livros.

Com relação aos cartões, é mais simples. Escrever dedicatórias e mensagens é mais tranqüilo, ainda mais (óbvio) se conheço bem a pessoa que vai receber. Mas gosto de usar, ao final da mensagem, uma frase: “Te desejo Todo Amor que Houver Nessa Vida”


Eu quero a sorte de um amor tranqüilo
Com sabor de fruta mordida
Nós na batida, no embalo da rede
Matando a sede na saliva
Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum trocado pra dar garantia

E ser artista no nosso convívio
Pelo inferno e céu de todo dia
Pra poesia que a gente não vive
Transformar o tédio em melodia
Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum veneno antimonotonia

E se eu achar a sua fonte escondida
Te alcance em cheio o mel e a ferida
E o corpo inteiro feito um furacão
Boca, nuca, mão, e a tua mente, não
Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum remédio que me dê alegria

2 comentários:

Luly :) disse...

Oi, Marcelo!

Estive ausente por uns dias, como vc sabe (a tal VIROSE... hehehehe.. aliás: protesto totalmente aceito!!;o)), mas gostei das mudanças... o novo estilo de comentário, o novo "personagem" da semana e os posts, que estão ótimos!!

Bom resto de semana pro cê!!

Bjo

Luly :)

Artur Rodrigues disse...

Minha esposa costuma dizer que um "ourinho" é sempre bem vindo. Agora aqui no Canada ele esta mais enamorada dos diamantes... só uma ideia de presentes...