quarta-feira, agosto 03, 2005

A Mel e o Norman

Como toda criança, eu sempre gostei de animais de estimação, mas estes sempre se restringiram aos cachorros.

A primeira, foi uma Fox paulistinha branca com a cabeça preta, de nome Bambina. Superdócil com a família, ela era o terror dos vendedores de sorvetes que passavam em frente à nossa casa, em Imbé, litoral norte do Rio Grande do Sul. Ela não latia, apenas corria e quando estava com os calcanhares da vítima ao alcance dos seus dentes ela simplesmente rosnava. E mordia. Muito tivemos que dar explicações sobre os ataques dela.

Depois, foi o Calvin. Um Cocker Spaniel dourado que eu ganhei de presente de uma namorada. O nome era para ser Spiff, em homenagem ao cosmonauta Spiff, super-herói imaginário de criação do personagem de Bill Waterson. Como a veterinária nos ensinou, o nome dos animais de estimação deve ter ao menos duas sílabas. Desistimos de Spiff, pensei em Tchaikowski, mas acabou sendo mesmo Calvin. Foi roubado numa manhã de carnaval.

Teve também o Lucky, que era do meu tio que, quando se mudou para São Paulo, deixou lá em casa com a gente. Alguns anos depois, o Lucky voltou para a casa do meu tio. Depois disso, não tive mais animais de estimação, até porque a Jacque não aceitou ter um rotweiller no nosso apartamento… Mas foram sempre cachorros. Nunca quis ter outros animais, como tartarugas, coelhos, galinhas, papagaios, peixes, etc.

Mas eu tenho uma afilhada.

E ela gosta de animais. Já teve peixe, hamster, cachorro (a Maggie, que não gostava de andar na rua) e, agora, hamster de novo. Se chama Mel, de Melissa, e está lá em casa sendo cuidada pela Jacque enquanto o Paulo, a Kaká, o Bibi e a Beta estão de férias em Bariloche. Eu disse que tudo bem, a Mel podia ficar lá em casa, mas só porque eu não estava lá: eu não gosto de ratos.

Temos tido, a Roberta e eu, longas discussões sobre o assunto: eu digo que não gosto de ratos, ela diz que a Mel não é rato, é hamster, e eu digo que é tudo a mesma coisa. Ela diz que não, dá detalhes de anatomia que diferenciam ratos de hamster e eu digo que não me interessa, rato é rato.

E o Norman?

Normal é um peixe, meu novo roomate. Antes que vocês digam, em coro, VEADO, VEADO, VEADO, deixa eu esclarecer que ele vai ficar aqui enquanto a Adriana, sua “avó” (a dona é a Alice, sua filha), tira uns dias de férias. Se ele sobreviver a esse período aqui, vai ter longa vida…

Até.

12 comentários:

Ana disse...

Rsrsrs

Veado, po?!

Eu queria um animal de estimacao. Alias, eu queria O MEU CACHORRO. Mas ele ta em alguma fazenda das Minas Gerais...

Anônimo disse...

Bom, se você virar mesmo viado (com i) poderá até se casar de novo, uma vez que no Canadá casamento gay é legal

marcelo disse...

Anônimo,

Agradeço sua colaboração, mas preciso saber que és, senão serei obrigado a eliminar seu comentário...

"Veado"

do Lat. venatu

s. m., Zool., quadrúpede ruminante, de galhos redondos e ramosos;
Brasil, espécie de mandioca, de talo vermelho e raiz curta e grossa.


abraço

Jacque Rizzolli disse...

Tu não entendeu nada mesmo........
O nome da Mel é Mel! Melissa é o apelido que eu dei prá ela, pois já que ela mede só uns 10 centímetros (ela é um hamster de raça anã!)pelo menos eu chamo ela por um nome maior, mais imponente, rsrs....
Nesta semana de convívio com a melissinha, descobri muuuuuitas coisas sobre hamsters, principlamente que ela ADORA Corn Flakes (que nem eu), não sei se eu devolvo ela prá Beta.... beijos da Jacque e da melissa

Monique disse...

Eu quando pequena queria muito um poodle, mas morando num apartamento e pequeno era impossível. Então, ganhei uma tartaruga chamada Titinha. Não me pergunte o por quê desse nome. Depois casei e continuei querendo um cachorro, mas ganhei foi 2 hamsters, que NÃO é rato. Primeiro a Cicciolina e a Sangri-la, depois veio o Romeu. Vida de hamster dura pouco, foram 3 aninhos só !!! Agora tenho a Fifi, minha gatinha fofa. E vc um peixinho, quem diria .....

Anônimo disse...

Que legal!! Me lembrei da Bambina, puxa quanto tempo!!!Bjocas G.

Luly :) disse...

Oh, so cute.... um peixinho... ;o)
Não curto muito não... não tem interação, eles só ficam lá, enfeitando algum lugar... ah! tem que dar comidinha, hein?! Não se esqueça!!

Bjo

Luly :)

PS: Eu sabia que vc comentaria aquele post... e não, eu não acreditei em vc!! hahaha!

Marcelo marbatis@hotmail.com disse...

Me impressiona que mesmo tendo a chance de viver num pais mais tolerante voce ainda esta carregando o resquicio de um pais hipocrita como o Brasil, onde e' comum ficar tirando sarro, contando piadas e tratando como inferior ou weird uma outra pessoa so por causa de sua orientacao sexual, cor, religiao, etc etc. Eu espero que ao longo de algum tempo voce mude e seja mais tolerante. Afinal de contas uma pessoa straight segura de sua sexualidade nao tem nada a temer.
Eu gosto dos ler os seus posts mas esse comentario me pareceu preconceituoso.

Ana disse...

Cheguei em Toronto em Outubro sim, nao tem muito tempo.

Eu nao me importo de ter menos vivencia de Canada nao. Por que me importaria :)

Ana disse...

Ahhhh!

Eu sempre acho que voce ta sendo ou sarcastico ou "mean" nos comentarios. Liga nao. :P

Ninne disse...

Ai, o Darryl tem essa mesma frescura com hamsters e ratos!! Eu tinha uma hamster, a Lili, ela morreu um ano atras. O Darryl nao gostava nem de passar perto da gaiola.
O engracado (bom, na hora nao foi engracado porque eu estava chorando) foi que, quando ela morreu, ELE foi quem teve que retirar o corpo do habitat E enterrar.

Ahahahah...

Beijo!

Camilla disse...

Nao gosto muito de animais. E quando pequena so criei peixinho mesmo, mas foram mortos por minha irmazinha!! E o detalhe e' que so soube disso anos depois!!